A paixão fez morada aqui dentro do meu peito
Dessas que a gente carrega mundo a fora
Trouxe com ela a saudade e não há quem leve embora
Dia-a-dia ela me arrasta, me domina e me devora

Vindo da brisa do campo
Sinto o doce do seu cheiro
Descarrego as mágoas nesta viola

E no silêncio das tardes
de tristeza também chora
a espera da felicidade
no novo romper de aurora

Abri as portas do meu coração
deixei as chaves em suas mãos
Você trancou e foi embora

E agora o que é que eu faço?
Tem dó de mim
Manda embora essa saudade sem fim
e me traga o seu amor de volta