Biografia - Pavarotti


Luciano Pavarotti (Módena, 12 de outubro de 1935 ? Módena, 6 de setembro de 2007) foi um cantor (tenor lírico) italiano, grande intérprete das obras de Donizetti, Puccini e Verdi, dentre outros em seu grande repertório. É reconhecido como o tenor que popularizou mundialmente a ópera.
Pavarotti participou, com os tenores espanhóis José Carreras e Plácido Domingo, dos famosos concertos "Os três tenores", e gravou duetos com Mariah Carey, James Brown, Frank Sinatra, Zucchero, Ricky Martin, Laura Pausini, Spice Girls, Bryan Adams, Andrea Bocelli, Queen, Céline Dion, Eros Ramazzotti, Jon Bon Jovi, The Corrs, U2, Roberto Carlos, entre outros, especialmente para causas beneficentes, nas quais se envolveu bastante. É considerado um dos mais importantes tenores de todos os tempos. Cantou nos mais importantes teatros mundiais, como o Teatro alla Scala (Milão), a Royal Opera House (Covent Garden, Londres), o Metropolitan Opera House (Nova Iorque), o grande Olympia (Paris), dentre outros.


Biografia

Pavarotti nasceu em Módena, no norte da Itália, filho de Adele Venturi e de Fernando Pavarotti. Em 1943, em decorrência da Segunda Guerra, a família mudou-se para o interior, dedicando-se à agricultura. Seu gosto musical foi diretamente influenciado pelo pai, que ouvia Beniamino Gigli, Giovanni Martinelli, Tito Schipa e Enrico Caruso. Pavarotti começou a cantar com o pai no coro de uma pequena igreja local. Durante a adolescência chegou a ter aulas de violão, mas não levou o estudo do instrumento adiante. Formou-se como professor , lecionando por dois anos antes de dedicar-se completamente ao estudo de música, com o apoio do pai. Casou-se pela primeira vez em 1960 com Ardua Veroni, com quem teve três filhas: Lorenza, Christina e Giuliana. No ano seguinte, aos vinte e quatro anos já fazia sua estréia na ópera La Bohème de Puccini, em Reggio Emilia. Em 1995 divorciou-se de Ardua Veroni. Casou-se novamente em 2003 com Nicoletta Mantovani, com quem ficou até sua morte. Em 2003, tiveram um casal de gêmeos (Alice e Riccardo), mas, devido às complicações no parto, apenas a menina sobreviveu.


Décadas de 1960 e 1970
Pavarotti em concerto no Palácio de Constantino na comemoração do 300º aniversário de São Petesburgo.
Pavarotti fez a sua estréia na ópera em 29 de Abril de 1961 no papel de Rodolfo de La bohème, em Reggio Emilia. Em sua cidade natal, conviveu, desde a infância, com a também famosa soprano Mirella Freni, de quem continuou amigo por toda a vida, e, segundo relato deles próprios, chegaram a dividir a mesma ama-de-leite quando bebês.
Estreou-se na América em Fevereiro de 1965 com a ópera "Lucia di Lammermoor", de Gaetano Donizetti, no teatro Florida Grand Opera (Greater Miami Opera) junto com a célebre soprano Joan Sutherland em Miami. Pavarotti foi o cantor substituto de um tenor subitamente doente e executou o seu papel sem prévio ensaio. Sutherland recomendou o jovem Pavarotti, que viajara na sua turnê pela Austrália, já que tinha desempenhado muito bem o papel. A soprano e o tenor se tornaram amigos e formaram, a partir de então, um famoso par em apresentações de ópera e concertos.
Em Milão, em 28 de Abril seguinte, estreia no Teatro alla Scala com La bohème. Depois de uma turnê à Austrália regressou ao La Scala onde fez o papel de Tebaldo de I Capuleti e i Montecchi em 1966, com Giacomo Aragall como Romeo. O seu primeiro papel de Tonio subiu à cena no Covent Garden em 2 de Junho desse ano.
Atinge grande êxito em Roma em finais de 1969 cantando I Lombardi com Renata Scotto, registado em disco e amplamente distribuído, tal como árias de I Capuleti e i Montecchi, habitualmente com Aragall. Os primeiros registos comerciais incluem um recital com obras de Donizetti e Verdi, com árias (a de Don Sebastiano de excepcional qualidade), bem como um L'elisir d'amore completo, com Sutherland. O seu maior êxito nos EUA chega com La fille du régiment de Donizetti, em 1972, na Metropolitan Opera, onde leva o público à loucura com nove aparentemente fáceis para si dós tenores. Foi chamado dezessete vezes à cena em constante aplauso.


Décadas de 1980 e 1990

No início da década de 1980, lança The Pavarotti International Voice Competition para jovens cantores, cantando com os vencedores em 1982 excertos de La bohème e de L'elisir d'amore. O segundo concurso em 1986 repete La bohème e Un ballo in maschera. Para comemorar o 25º aniversário de carreira leva os vencedores a Itália para recitais de gala de La bohème em Modena e Génova, e à China exibindo La bohème em Pequim. Actua no Grande Salão do Povo para dez mil pessoas, recebendo ovação entusiástica por nove dós tenores. O concurso de 1989 continha excertos de L'elisir d'amore e Un ballo in maschera. Os vencedores deste acompanharam Pavarotti em performances em Filadélfia em 1997.
Um novo incremento à sua fama internacional ocorreu quando em 1990 cantou a ária de Giacomo Puccini "Nessun Dorma" da ópera Turandot, que foi o hino da Copa do Mundo de 1990 na Itália. Forma com Plácido Domingo e José Carreras Os Três Tenores, acompanhados pelo maestro Zubin Mehta, que ainda hoje é o álbum de música clássica mais vendido de sempre. Em Hyde Park, Londres, junta cinto e cinquenta mil pessoas para ouvi-lo. Em Junho de 1993, mais de quinhentas mil dirigem-se ao Central Park de Nova Iorque para o ouvir, com milhões em todo o mundo a segui-lo pela televisão. Em Setembro, em Paris, junta trezentas mil. Os três Tenores repetem recitais nas várias Copas do Mundo de Futebol: em Los Angeles em 1994, em Paris em 1998, e Yokohama em 2002. Cantou Kawa No Nagare No Yoni, sucesso japonês de Misora Hibari com o Plácido Domingo e José Carreras em Yokohama.


Anos 2000
Pavarotti durante um concerto em Turim.
Pavarotti tem duas entradas no livro Guinness World Records: o maior número de chamadas ao palco ? 165 ? e o álbum de música clássica mais vendido de sempre (In Concert de Os Três Tenores partilhado com os colegas Plácido Domingo e José Carreras).
Em 2003 publica a sua última compilação, Ti Adoro.
Iniciou a sua turnê de despedida em 2004, aos 69 anos, após quatro décadas de palco.
Pavarotti actuou pela última vez na New York Metropolitan Opera em 13 de Março de 2004 recebendo uma ovação de 11 minutos pelo papel do pintor Mario Cavaradossi na Tosca de Giacomo Puccini. Em 1 de Dezembro de 2004 anuncia a turnê final em 40 cidades, produzida por Harvey Goldsmith.
Em 10 de Fevereiro de 2006, Pavarotti canta "Nessun Dorma" na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2006 em Turim.
Faleceu em 6 de setembro de 2007, vítima de câncer no pâncreas.


Discografia

Pavarotti possui uma vasta discografia composta por álbuns de estúdio, onde transita dos clássicos eruditos às canções mais populares do interior da Itália, coletâneas de canções dos grandes nomes na música mundial, gravações de várias das óperas em que atuou, álbuns ao vivo de alguns dos concertos que realizou ao longo se sua carreira, com participações de expoentes da música lírica, bem como de ídolos da cultura pop.


Em Portugal

Pavarotti actuou duas vezes em Portugal. A primeira em 13 de Janeiro de 1991 no Coliseu de Lisboa num concerto denominado "Uma Noite com Luciano Pavarotti". Pavarotti cantou árias de Donizetti, Verdi, Massenet, Puccini, Leoncavallo e canções napolitanas.
Em 21 de Junho de 2000 actuou no Estádio São Luís, em Faro com cenário do arquitecto Tomás Taveira. Na viagem entre Lisboa e Faro, partiu-se um vidro do jacto privado do cantor, a cabine despressurizou e o avião caiu mais de três mil metros. O tenor não ganhou para o susto, comentando "Desta vez safei-me".
O incidente resultou numa otite e alguns problemas nas cordas vocais, pelo que teve de receber tratamento numa clínica próxima de Faro.
Cantou árias de Cilea, Puccini, Mascagni e Verdi, acompanhado pela Orquestra Nacional do Norte.


No Brasil

Pavarotti esteve no Brasil sete vezes. A primeira foi em 1979, realizando dois recitais: um no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, e o outro no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo, onde cantou para quatro mil pessoas sem o microfone. A última vez que ele esteve no Brasil foi em 2000, com uma apresentação dos Três Tenores, no Estádio do Morumbi, em São Paulo. Também cantou em dueto com o cantor Roberto Carlos em Porto Alegre no ano de 1998, outra apresentação dos dois juntos era esperada para o ano de 2007 em Minas Gerais mas foi cancelada devido a motivos de saúde de Luciano Pavarotti.


Ver também
  • Os Três Tenores

Referências


Ligações externas
O Wikiquote tem uma coleção de citações de ou sobre: Luciano Pavarotti.O Wikimedia Commons possui multimedia sobre
Luciano Pavarotti
  • Página oficial (em italiano e em inglês)

  • Biografia de Luciano Pavarotti
    (em português)

  • Luciano Pavarotti no Internet Movie Database
    (em inglês)

  • Discografia no Discogs.com
    (em inglês)

  • Pavarotti canta Ingemisco, no Alla Scala, em Milão, 1967; regente: Von Karajan
    (em inglês)

  • Pavarotti canta Nessun Dorna, na última exibição pública, em Turim, a 10 de fevereiro de 2006
    (em inglês)

  • Os Três Cantores cantam O Sole Mio, no primeiro espetáculo do trio, nas Termas de Caracalla, em Roma, 1990
    (em inglês)





Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Luciano_Pavarotti

Músicas Pavarotti

Pavarotti