O Que Resta De Nós

Zeca Pagodinho

Amor!
Não deixe cair pelo chão
O que resta de nós, de nós
A dor!
Se aperta em meu peito
E não deixa sair minha voz
De noite não deixa
Dormir minh'alma
De dia me vem roubar a calma
Me fere o espinho do pranto
Alegria não há
Sustaram-se meus acalantos
Eu vivo a chorar...

Ah! Meu amor!
Amor!
Não deixe cair pelo chão
O que resta de nós, de nós
A dor!
Se aperta em meu peito
E não deixa sair minha voz
De noite não deixa
Dormir minh'alma
De dia me vem roubar a calma
Me fere o espinho do pranto
Alegria não há
Sustaram-se meus acalantos
Eu vivo a chorar...

Será que a vida é penitência
Prá quem ama de verdade
É preciso paciência
Prá curtir essa saudade
Em meu peito
O tédio chega lentamente
Não há remédio, não há jeito
Nosso amor está doente...

Ah! Meu amor!
Amor!
Não deixe cair pelo chão
O que resta de nós, de nós
A dor!
Se aperta em meu peito
E não deixa sair minha voz
De noite não deixa
Dormir minh'alma
De dia me vem roubar a calma
Me fere o espinho do pranto
Alegria não há
Sustaram-se meus acalantos
Eu vivo a chorar...

Será que a vida é penitência
Prá quem ama de verdade
É preciso paciência
Prá curtir essa saudade
Em meu peito
O tédio chega lentamente
Não há remédio, não há jeito
Nosso amor está doente...

Ah! Meu amor!
Amor!
Não deixe cair pelo chão
O que resta de nós, de nós
A dor!
Se aperta em meu peito
E não deixa sair minha voz
De noite não deixa
Dormir minh'alma
De dia me vem roubar a calma
Me fere o espinho do pranto
Alegria não há
Sustaram-se meus acalantos
Eu vivo a chorar...

Ah! Meu amor!
Amor!
.
  • Flor de Jade
    -
    De dia me vem roubar a calma
    Me fere o espinho do pranto
    Alegria não há
    Sustaram-se meus acalantos
    Eu vivo a chorar...