Editar Biografia

Biografia Bob Marley

Cantor, compositor, guitarrista, defensores dos desfavorecidos. Assim era o jamaicano Bob Marley. Além de ser o responsável por fazer o reggae ser conhecido no mundo todo e divulgar o movimento religioso [b]rastafári[b], que pregava a irmandade e a paz para os povos, ele lutava contra o preconceito e pela valorização dos negros. Com muito ritmo, suas músicas representavam todas essas ideias e assim ele conquistou milhões de fãs. No entanto, no auge da sua carreira, aos 36 anos, ele foi [b]diagnosticado com um câncer de pele agressivo e não quis se tratar. A doença se espalhou e ele não resistiu e morreu em 1981. É isso mesmo, ele não morreu por abusar de drogas. Veja sua trajetória em detalhes.

Infância difícil

Bob Marley nasceu em 6 de fevereiro de 1945, na Jamaica. Ele é filho de Ceella Booker, uma jovem de 18 anos, com o capitão branco Norval Marley, 32 anos mais velho. Logo após o nascimento de Bob, Norval abandonou a família e só ajudava financeiramente. Depois disso, Bob foi morar com sua mãe na mais miserável favela de Kingston, onde era provocado e rejeitado pelos negros locais por ser mulato e baixo. Isso lhe deu toda a bagagem para querer um mundo melhor e mais justo.

De cabelo curto, esse é Bob Marley ainda criança


Bob e sua mãe Ceela


Só após se casar é que Bob foi tentar uma vida melhor nos Estados Unidos, mas poucos meses depois ele voltou para a Jamaica.

Leitura de mãos

Quando era criança, por volta dos 4 anos, Bob começou a fazer previsões através da leitura da mão e na maioria das vezes ele acertava. Bob ficou conhecido na região, mas não levou esse “dom” adiante.

Carreira precoce

Bob Marley começou na carreira aos 14 anos, quando saiu da escola. Junto com o amigo Bunny, ele começou a ter aulas com o cantor Joe Higgs e foi nesse período que ele conheceu Peter Tosh. Em 1963, ele decidiu montar uma banda com esses amigos e assim nascei a "Wailing Wailers". O primeiro single do grupo foi "Simmer Down" pela gravadora Coxsone, e ficou em primeiro lugar na Jamaica durante dois meses.

Escute aqui "Simmer Down"

Vídeo Youtube - ybmPHD7FPcQ


Músicas com mensagens

Marley não era da vibe de escrever qualquer coisa pra ganhar dinheiro e pronto. Em suas composições, ele pedia por justiça e lutava contra o preconceito e a valorização dos negros. O cantor chegou a ganhar a Medalha da Paz do Terceiro Mundo, Honra ao Mérito da Jamaica, "Order of Merit", Herói Nacional e o "Order of the National".

Isso tudo também tinha muito a ver com a religião rastafári, que é uma crença que nasceu na Jamaica e prega a adoração do deus Jah. Os seguidores também devem ficar longe do capitalismo: usam a roupa que desejar, não cortam o cabelo, seguem uma dieta praticamente vegetariana e preferem tratamento com ervas medicinais.

Dedicação total à carreira

Nesse meio tempo, sua mãe se mudou para os Estados Unidos e em seguida mandou dinheiro para Bob ir. Ele então se casou com Rita Anderson e foi! Mas oito meses depois, ele voltou para a Jamaica.

Nessa volta, ele começou a se aprofundar da cultura rastafári e sua música passou a falar sobre isso. Ele montou novamente o grupo que recebeu o nome de "The Wailers".

Os Wilers então se unem a Lee Perry e eles lançam os discos 'Soul Rebels", "Soul Revolution", "Soul Revolution parte II" e "Best of The Wailers" e as faixas "Soul Rebel", "Duppy Conqueror", "400 Years" e "Small Axe" se destacam e enfatizam o que é o reggae.

Escute aqui "Sou Rebel"

Vídeo Youtube - okFznac7Lts


O grupo ia superbem na Jamaica, mas continuava desconhecido internacionalmente. Foi então que Marley recebeu um convite para ir para a Suécia e assinou com a gravadora CBS. Els foram para Londres divulgar o single "Reggae on Broadway".

Escute aqui "Reggae on Broadway"

Vídeo Youtube - KX9uRQn64l4


Marley e seus amigos gravaram o disco "Catch a Fire”, que foi muito divulgado e Bob Marley enfim teve o seu talento reconhecido. A banda saiu em turnê e eles [b lotaram alguns clubes noturnos e abriram shows para outros artistas[/b].

Algum tempo depois, veio "Burnin" com clássicos como "Get Up, Stand Up", na qual Bob alerta as pessoas para que lutem por seus direitos , "I Shot the Sheriff"

Em 1974, eles lançaram "Natty Dread" e o hit "No Woman No Cry" atingiu o primeiro lugar e Marley se tornou ainda mais famoso. Nessa época, sua esposa Rita Marley já fazia parte da banda.

É sempre bom ouvir "No Woman No Cry"

Vídeo Youtube - jGqrvn3q1oo


No ano seguinte, saiu o primeiro disco ao vivo "Live!" gravado em Londres. Depois veio "Rastaman Vibration" em 1976 e o cantor conquistou de vez os Estados Unidos.

Em 1978, Bob foi para a África e conheceu a Etiópia, onde p movimento restafari é reverenciado. Eles lançaram o disco ao vivo "Babylon By Bus", que falava dos problemas da África. As músicas que se destacam são "Zimbabwe" e "Africa Unite".

A banda canta "Zimbabwe"

Vídeo Youtube - QDk4PzjI1sM


Em seguida veio "Survival" e em 1980, eles lançam "Uprising" e o mundo cantou "Could You Be Loved" e "Redemption Song".

O cantor arrebentando em "Could You Be Loved"

Vídeo Youtube - sL_BcaI0i0w


O grupo então encara uma superturnê e são recorde de público. Bob então vai se apresentar no Madison Square Garden (EUA) e aí a vida lhe apronta uma ingrata surpresa.

Depois de sua morte, alguns álbuns foram lançados. Primeiro foi "Confrontatios", que tem canções inéditas de músicas que ele foi gravando ao longo da vida. Depois vieram "Talkin' Blues", que é um álbum ao vivo gravado em 1973 e lançado em 1991 e "Live at the Roxy", um álbum duplo ao vivo, gravado em Hollywood 1976 e lançado em 2003.

Essas são algumas capas dos discos do astro do reggae







As drogas e a prisão

Os seguidores do rasta costumam fumar maconha, pois acreditam ser uma erva sagrada e segundo os adeptos, o uso só para fins recreativos é considerado desrespeitoso.

Se Bob Marley também usava para fins recreativos não podemos confirmar, mas em 1968, Bob passou um mês na prisão na Jamaica por porte de maconha. Em 1977, aconteceu a mesma coisa. Bob era um ativo defensor de sua legalização.

Atentado perigoso

Em 1976, Bob Marley sofreu um atentado durante um ensaio em sua casa. Sete homens invadiram o local em que estavam ele, a esposa, Rita Marley, integrante da banda, e o empresário Don Taylor e todos foram baleados e levados ao hospital. O motivo real do atentado nunca foi esclarecido, mas acredita ter sido pelo teor de protesto de suas canções. Alguns dias depois, Bob fez o show pela paz que ele estava planejando e se mudou para Londres. Ele ficou oito meses sem tocar na Jamaica.

A notícia saiu até no jornal


Relacionamento conturbado

Em 1966, Bob se casou com Rita, que lançou o livro "No Woman No Cry: Minha Vida com Bob Marley". Em uma de suas entrevistas, ela falou que teria sido estuprada pelo marido. Ela falou o seguinte: “Bob não aceitava não como resposta, então ele usou a força contra mim e isso eu chamo de estupro”, disse Rita. Como a história tomou uma grande proporção, ela voltou atrás. Ela disse que suas declarações foram retiradas do contexto.

Bob no dia do seu casamento com Rita


Bob com Rita e seus filhos


Mas vale lembrar que Marley não era nada fiel a esposa. Veja só, com ela ele teve cinco filhos, três biológicos e dois que eram dela, mas foram adotados por ele. Mas no total, foram reconhecidos como seus filhos, 11 crianças. Os mais conhecidos são Ziggy e Damian, que seguem a mesma carreira do pai.

Alguns dos filhos de Bob Marley


A modelo brasileira Isabeli Fontana namorou por algum um de seus filhos, o Rohan Marle


Herança nos tribunais

Rita Marley ficou com tudo o que Marley tinha, inclusive com os direitos autorais do de “Bob Marley & The Wailers”. Por conta disso, ela não tem uma relação boa com os membros da banda. Segundo os integrantes, ela não repassa nada a eles, que acompanharam o cantor por toda a vida. A briga está na justiça.

Essa é a banda Bob Marley & The Wailers


Ídolo do ídolo

Bob Marley era fã de James Brown. Ele disse que era o seu cantor preferido quando eu era criança. Mas ele também declarou que gosta muito de Aretha Franklin.

Bob e seu BMW

Isso mesmo, apesar da religião pregar o desapego, Bob tinha um carrão. Sua justificativa? O herói de uma cultura justificava que não era materialista, mas ele tinha um BMW porque era a abreviação de "Bob Marley and the Wailers". Tá?

Bob Marley e seu carrão


Nada de abrir show

Você sabia que Bob Marley and The Wailers não toparam abrir o show dos Rolling Stones, que na época já eram os reis do rock? Bob Marley ainda não era sucesso mundial, mas estava no caminho, por isso, ele tinha que ser a atração principal.

Mas Bob Mick se tornaram “amigos”


Coração bom

O empresário da gravadora Chris Blackwell deu as chaves de uma mansão para Bob morar na Jamaica e o cantor transformou o local em comunidade, com acesso livre para toda a família, amigos do gueto, rastas, músicos e dizem que ele dava dinheiro e comida para pessoas que vinham da favela pedir.

Morte repentina

Não, Bob Marley não morreu por consequência do uso de drogas, até porque na religião dele só se permite maconha e nada mais, nem bebidas, cigarros ou outros drogas ilícitas.

Bob Marley, após uma partida de futebol machucou o pé e mesmo sem cicatrizar como deveria só em 1980 (três anos depois) é que ele passou mal durante sua turnê nos Estados Unidos e descobriu que tinha uma espécie de câncer de pele que se desenvolveu sob sua unha. Ele precisava amputar o dedo, mas o cantor se recusou devido a sua religião. Segundo ele, o corpo é um templo que ninguém pode modificar (motivo pelos quais eles deixam a barba e os dreadlocks crescerem). Ele também achava que a amputação o prejudicaria no palco e ele estava no auge.

O câncer se espalhou e após ser desenganado, ele queria voltar para a Jamaica para morrer junto a família e amigos, mas no meio da viagem ele passou mal, foi socorrido em Miami e morreu ao lado de sua mãe, no dia 11 de maio de 1981.

Após a sua morte, a data do seu aniversário, o dia 6 de fevereiro, foi decretado feriado nacional na Jamaica.
    Foto do Álbum