Editar Biografia

Biografia Linkin Park

Estados UnidosAgoura Hills / Califórnia / Estados Unidos Começou há 22 anos em 1996
A banda californiana de maior sucesso nos Estados Unidos é formada em 1996 por amigos da escola e outros que foram levados pelo próprio grupo. Após anos e anos de luta, eles enfim conseguem fechar contrato com uma gravadora e passam a se chamar Linkin Park. Ao lançar o primeiro CD, em 2000, eles se tornam um fenômeno. A banda faz um mix de guitarras pesadas, hip hop e música eletrônica e o público não consegue ficar parado. As melodias contagiantes fazem a banda estourar nas vendas – “Hybrid Theory” até 2009 já tinha vendido mais de 24 milhões de cópias - e eles chegam a fazer shows com uma das maiores bandas de rock, o Metallica e também fecham uma parceria com o compositor e produtor, o rapper Jay-Z. Eles já ganharam dois Grammy Awards e foram considerados uma das melhores bandas do novo milênio.

A banda se forma

Linkin Park leva algum tempo para se formar. Mike nasceu em Los Angeles (EUA) e por anos estudou piano, piano clássico, jazz e hip-hop. Em 1990, ele conhece Mark Wakefield na escola onde estudam, a Agoura High School. Através de Mark, ele é apresentado a Brad Delson e Rob Bourdon. Nessa época, Mark, Rob e Brad faziam parte da banda hardocre “The Pricks” .

Mike e Brad começam a compor e gravar suas canções que misturam rock e hip-hop. Eles fazem isso no quarto de Mike que o transforma em estúdio. Isso dura seis anos e eles então convidam Mark e Rob e eles formam a banda “Xero”.

Mas os meninos continuavam estudando. Enquanto Mike faz ilustração no Art Center College of Art, Brad estuda comunicação na University of California. Na faculdade, Brad conhece Dave “Phoenix”, que tocava na band hardcore cristã “Tasty Snax”. Já Micke conhece Joe Han no ACCA. Phoenix e Joe entram para a ”Xero”. E assim as influências de rock e de hip-hop estavam prontas para andar lado a lado.

Eles faziam poucos shows, portanto, passavam a maior parte do tempo escrevendo e trabalhando nas músicas. Em 1997 eles gravam a primeira demo com quatro músicas e enviam para diversas gravadoras, chegando a fazer dezenas de apresentações para empresários e produtores musicais e nada. A única coisa boa foi conhecer Jeff Blue, da Zomba Music, que anos mais tarde os contrataria. Mark desanima e sai da banda. Agora Mike precisava de alguém para ajudá-lo nos vocais e pede ajuda a Jeff.

Um novo vocalista
Nessa época, Chester Bennington, com 15 anos, é convidado a se juntar à banda “Sean Dowdell ans his Friends” que depois passa a se chamar “Grey Daze” e conquista o seu espaço no Arizona (EUA). A banda chega a emplacar duas músicas no rádio. Eles também abrem shows de bandas nacionais que se apresentavam no estado. No entanto, sete anos depois, ela acaba.

Chester, que já estava casado, começa a trabalhar em uma firma de serviços digitais, mas é salvo por Jeff Blue, que o convida para cantar na “Xero”. Mesmo fazendo testes com outros cantores, Chester fica com a vaga. A banda passa a se chamar “Hybrid Theory”.

A batalha recomeça

O quarteto começa a trabalhar as músicas, desde as letras até os arranjos. Muitas delas falavam da infância dolorosa de Chester (ele era abusado e não tinha coragem de contar para ninguém).

No entanto, a vida continua difícil para Chester. Além de estar longe da esposa, ele tem que dormir na casa dos amigos da banda, no seu carro e até no estúdio onde ensaiam, mas ele acredita que as coisas vão acontecer. Mike também dorme no estúdio.

Eles então começam a usar a internet para tentar mais visibilidade. Quando não estavam trabalhando nas músicas, postavam MP3 no site da banda, faziam contatos e conversavam com as pessoas, mas nada de interesse de gravadora.

Enfim, um contrato

O amigo Jeff Blue então propõe para eles gravar um EP com seis faixas. Eles mandam novamente para as gravadoras e graças a ida de Jeff vai para a Warner Brothers, ele fecham contrato.

Mas as coisas não são um mar de rosas. Apesar do contrato, o dono da gravadora não curte os meninos de jeito nenhum e a primeira coisa que ele exige é a mudança de nome. Eles então pensaram em Lincoln Park, um antigo bairro de Santa Monica (hoje chamado de Christine Emerson Reed Park), mas o domínio já estava registrado. Eles dão uma adaptada e assim fecham em Linkin Park.

Depois disso, é a vez do produtor colocar defeito no repertório. Ele diz que só gosta de duas músicas (“Points of Authority” e “With You”). Eles são obrigados a escrever um disco em dois meses.

Não, a gravadora ainda não se dá por satisfeita. Agora eles querem apenas o Chester no vocal e o Mike só nos teclados. Chester declara guerra e diz que jamais puxaria o tapete do compositor da banda, que ele, sim, era o dono da Linkin Park e o cara que tinha lhe dado um trabalho. Depois quiseram colocar o rapper Matt Lyons na banda, queriam influenciar na forma como Mike cantava... Enfim, se metiam em tudo.

Foi aí que eles se rebelam e cortam relações com a gravadora. Ou as coisas seriam do jeito deles ou então o contrato seria encerrado.

O primeiro CD chega às lojas

A gravadora deixa o grupo correr o risco e finalmente as coisas começam a dar certo. Em outubro de 2000, sai o primeiro disco “Hybrid Theory” e a música “One Step Closer” já está estourada nas rádios. Além dela, outros singles de sucesso são "In The End", "Crawling", "Points of Authoprity”, que estão tocando muito nas rádios dos nos Estados Unidos.

O mais curioso é que na noite anterior ao CD chegar às lojas, o grupo vai para a porta de uma delas para comprar a primeira cópia de seu próprio disco. Eles acreditam que vão vender entre 6 e 8 mil, mas só na primeira semana, o disco vende 47 mil cópias e chegam a bater 500 mil. E as coisas melhoram ainda mais e eles fecham o ano em 4,8 milhões de cópias, tornando-se o disco mais vendido de 2001. O CD ainda fica na posição número 2 na Billboard 200 (uma lista classificando os 200 álbuns e EP mais vendidos nos EUA) e ganha disco de ouro.

Além disso, “One Step Closer” entra na trilha sonora do filme Dracula 2000, "Points Of Authority" em Little Nicky e "Pushing Me Away" em Valentine. O sucesso é tanto que “Hybrid Theory” leva o Grammy Awards por Melhor Performance de Rock (por "Crawling"). A MTV dá a banda os prêmios de Melhor Video de Rock e de Melhor Direção por "In the End".

E mesmo com todo o sucesso, Chester se joga no álcool e nas drogas para driblar a solidão e a depressão e isso o afasta do restante da banda. Ele percebe que esse comportamento está prejudicando-o e pede ajuda ao grupo, que prontamente o atende.

A turnê da banda rende o primeiro DVD, o “Frat Party at the Pankake Festival” ganha disco de ouro.

Paralelo a isso, a banda recebe diversos convites e participa de grandes turnês e concertos, como a Ozzfest (festival itinerante de rock anual realizado nos Estados Unidos e na Inglaterra e o KROQ Almost Acoustic Christmas (concerto anual promovido pela rádio KROQ).

Em 2002, a agenda fica mais tranquila e eles conseguem descansar depois de mais de 300 shows.

Descanso produtivo

Durante esse período de férias, Mike remixa todas as músicas de “Hybrid Theory” e mais duas inéditas - "My December" e "High Voltage" - para o segundo álbum da banda. Este álbum conta com a participaçãa de Black Thought, Jonathan Davis (Korn), Setephen Carpenter (Deftones) e Aaron Lewis (Staind). Phoenix também está de volta à banda.

Em 2002, sai o disco “Reanimation” e o pessoal do hip-hop adora. Ele fica em segundo lugar na Billboard 200 ao vender 270 mil cópias na primeira semana de vendas nos Estados Unidos.

De volta ao estúdio

Eles então voltam para o estúdio para gravar um CD com músicas inéditas e “Meteora” sai em 2003 repetindo o sucesso dos dois primeiros CD’s. O repertório envolve nu metal, rapcore e novos instrumentos, como uma flauta japonesa de bambu chamada shakuhachi. Os hits de sucesso são "Somewhere I Belong", "Breaking the Habit", "Faint" e "Numb" que invadem as rádios.

A banda então sai em turnê mundial e o último show é no Brasil com todos os ingressos esgotados. Esta foi a primeira e única apresentação na América do Sul.

O sucesso do Linkin Park rende a eles um convite para tocar com o Metallica em sua turnê de verão.

Como a banda já está acostumada, eles chegam ao topo das paradas e de vendas nos Estados Unidos e Reino Unido. Eles emplacam mais de 800 mil cópias na primeira semana, mas já passam de 3 milhões de discos vendidos.

Desta turnê sai o quarto disco gravado ao vivo. O CD e DVD ganham o nome de “Live in Texas” que é gravado em um show em Houston e outro em Irving.

No começo de 2004, Linkin Park começa uma turnê mundial chamada ”Meteora World Tour” , que passa pelo Brasil e tem 80 mil pagantes.

Meteora rende para a banda o prêmio MTV de Melhor Video de Rock por "Somewhere I Belong".

Após o fim da turnê mundial, Chester volta a ficar mal, agora por causa de seu casamento que não estava mais dando certo. Novamente ele pede ajuda para os amigos e retoma o controle. No entanto, ele se separa e casa-se novamente. Chester está fazendo de tudo para ficar sóbrio, pois isso o ajuda na relação com o restante do grupo.

Parceria de sucesso

Em 2004, a MTV pergunta ao rapper Jay-Z com quem ele gostaria de trabalhar e Linkin Park é o escolhido para a parceria. Eles fazem um trabalho chamado “Collision Course” que junta letras e faixas intermixadas dos dois artistas com canções de discos anteriores.

Eles chegam a fazer alguns shows juntos, um em Los Angeles que é gravado pela MTV, no Live 8 na Filadélfia, Pensilvânia, no Festival Summer Sonic de 2006, no Japão e no Grammy Award de 2006, onde eles tocam a canção "Numb/Encore" e ainda levam o Grammy por Melhor Colaboração Rap/Canção com a música “Numb/Encore”.

Depois de quase cinco anos só de trabalho e eles decidem fazer uma pausa e descansar antes de voltar ao estúdio.

Projetos paralelos

Durante essa pausa, eles fundaram a organização Music For Relief para ajudar as vítimas do Tsunami no sul da Ásia. Atualmente, eles têm como missão ajudar as pessoas que passam por desastres naturais a se recuperarem, reconstruindo casas e investindo em programas de educação e em recursos. Eles também falam em aquecimento global, suas consequências e como combatê-lo. A banda doa US$ 75 mil dólares para a Special Operations Warrior Foundation em março de 2004 e participa do Live 8, uma série de shows para caridade.

Paralelamente a isso, Mike grava o primeiro disco do seu projeto solo, o ”The Rising Tied” e Jay-Z o ajuda a lançá-lo. Joe filma e dirige um curta-metragem, o “The Seed” e Chester começa a trabalhar em seu disco solo, que se chamará “Dead By Sunrise”.

Também em 2005, eles rescindem o contrato com a Warner. Mas a gravadora faz uma contra-proposta, dão um adiantamento pelo novo disco e aumenta os royalties da banda.

Trabalho novo na área

Depois de mais de um ano trabalhando no novo CD, em 2007 é a vez de “Minutes to Midnight” chegar às lojas. O disco fecha o ano com 45 milhões de cópias vendidas, fazendo deles o grupo de maior vendagem deste milênio. Ele também fica no topo das paradas da Billboard.

Entre as 12 músicas estão "What I've Done" que entra na trilha sonora de Transformers, além de “Bleed It Out", "Shadow of the Day", "Given Up" e "Leave Out All the Rest". No fim do ano, a banda ganha o prêmio "Artista Alternativo Favorito" da American Music Awards.

Mais uma vez eles saem em turnê mundial - “Projekt Revolution” - e passam por diversas cidades do Japão, Inglaterra, Canadá e Londres.

Nessa mesma época, é lançado o projeto solo de Chester Bennington, “Dead by Sunrise”. A banda tocou em alguns shows do Linkin e também sozinha.

Em 2008 sai o CD/DVD “Road to Revolution: Live at Milton Keynes”, que é uma gravação de um show feito durante a turnê “Projekt Revolution”.

Em outras plataformas
Em dezembro de 2008, eles resolvem inovar e testam o software Pro Tools 8 e fazem uma canção experimental, a "Lockjaw" que tem participação de Shinoda e Bourdon. Em 2009, eles fazem, junto com o compositor Hans Zimmer, uma nova canção para o filme Transformers: Revenge of the Fallen. Ela recebe o nome de "New Divide" e ganha um clipe. A banda se apresenta na premiére do filme.

Em 2009, eles participam de mais alguns festivais de música e em 2010 lançam a canção "Not Alone" que faz parte de um álbum musical feito para arrecadar fundos para ajudar as vítimas do terremoto do Haiti. A música também teve videoclipe.

Em 2010, eles também produzem um videogame chamado 8-Bit Rebellion! e a música "Blackbirds" é destravada quando o jogador completa o jogo.

De volta aos discos

Em 2010 sai o álbum “A Thousand Suns” com as canções "The Catalyst", que já estava sendo trabalhada na rádio, assim como a , "Wretches and Kings", que foi liberada na pré-venda no site oficial da banda, além de "Waiting for the End" e "Blackout", "Burning in the Skies" que foram liberadas na página do Myspace.

Eles saem em turnê e passam por Los Angeles e pelo Brasil no festival SWU (Starts With You). O CD estreou em primeiro lugar na Billboard 200, após vender 241 mil cópias na primeira semana. No Reino Unido foram mais de 46 mil cópias.

Em 2011, eles lançam uma nova versão do Download to Donate for Haiti que recebe o nome de Download to Donate for Haiti V2.0, que tinha mais canções para baixar, como o remix de "The Catalyst".

E na vibe de ajudar ao próximo, Shinoda desenha dois tipos de camisetas que serão vendidas no Music For Relief para ajudar as vítimas do do Tsunami no Japão. Eles também lançaram no Download to Donate: Tsunami Relief Japan, outra compilação de canções para a organização Save The Children.

Ainda em 2011, é lançada a canção "Iridescent", que é usada na trilha sonora do filme Transformers: Dark of the Moon. O videoclipe é dirigido por Joe Hahn.

Na estrada de novo

Em 2012 chega às lojas “Living Things” que já tem videoclipe da música "Burn It Down" sendo trabalhado. Outros sucessos são "Lies Greed Misery" e "Powerless" que entra para a trilha sonora do filme Abraham Lincoln: Vampire Hunter. Eles saem em turnê com a “Honda Civic Tour”. Dessa vez, eles fazem quatro shows no Brasil.

Após o encerramento da turnê, eles começam a trabalhar um álbum de remixes, “Recharged” que é lançado em 2013 e tem a canção inédita "A Light That Never Comes" com participação do DJ Steve Aoki.

Em 2014 chega as lojas o CD “The Hunting Party” com a canção "Guilty All the Same" que já estava sendo trabalhada pela banda e tem participação do rapper Rakim. Este trabalho oferece um som hardcore punk-Thrash da década de 1990 e como os outros é sucesso de vendas.
    Foto do Álbum