Abismo Da Arte (Letra)
Compositores: Peão Carreiro, Praense
Entrei num bar para tomar uma cerveja
Uma mulher tão mal trajada ali estava
E me pediu que lhe pagasse uma dose
Lhe dei um copo da cerveja que eu tomava

Mandei servir outra bebida pra nós dois
Bebendo juntos começamos conversar
Naquele instante alguém me trouxe um violão
A sua história ela contou-me a cantar

Não me ignore por me ver tão mal vestida
Este é o destino da pessoa que fracassa
Ao recordar que já fui gente não sou nada
Bebo acalmando a tristeza que me abraça

Já fui artista de renome mundial
Já fui a voz mais preferida do universo
Por circunstâncias que o artista desconhece
Sou um espelho de quem hoje é sucesso

Após ouvir a grande artista fracassada
Analisei a sua vida de outrora
Os seus dizeres para mim foram reais
Pois no palácio do sucesso ninguém mora

Ser um artista é valer o quanto pesa
Não é somente o desejo de cantar
Tem que ser chumbo na balança do mercado
Porque caindo não é fácil levantar

Ser um artista é valer o quanto pesa
Não é somente o desejo de cantar
Tem que ser chumbo na balança do mercado
Porque caindo não é fácil levantar
Informações

da Música (Abismo Da Arte)

Editar Informações

Comentários Abismo Da Arte

  • Comentar
      Foto do Álbum