Parede e Meia (Letra)
Compositores: Praense, Peão Carreiro
Essa vida, meu bem, não é vida
Você ama e não é amada
Seu amor passa as noites com outra
E só chega quando é madrugada

Você fica sozinha em seu leito
A chorar esperando o seu bem
Sem saber que no quarto vizinho
Eu padeço por você também

Eu
Vejo a luz que em seu quarto clareia
Nós moramos de parede e meia
Sei o quanto que você padece

Sinto
O desejo de beijar seu rosto
E abraçar o seu lindo corpo
Que espera por quem não merece

Você chora e fala baixinho
Reclamando o martírio absurdo
Sem saber que estou acordado
Em meu quarto escutando tudo

E quando ele bate na porta
Você corre abrir no ensejo
Com carinho e afeto recebe
Quem está enjoado de beijo

Eu
Vejo a luz que em seu quarto clareia
Nós moramos de parede e meia
Sei o quanto que você padece

Sinto
O desejo de beijar seu rosto
E abraçar o seu lindo corpo
Que espera por quem não merece
Informações

da Música (Parede e Meia)

Editar Informações

Comentários Parede e Meia

  • Comentar

    Álbuns com a música: Parede e Meia

    • Parede e Meia - Peão Carreiro e Praense
      Foto do Álbum