Porta do Mundo (Letra)
Compositores: Peão Carreiro, Zé Paulo
O som da viola bateu
No meu peito doeu, meu irmão
Assim eu me fiz cantador
Sem nenhum professor aprendi a lição

São coisas divinas do mundo
Que vem num segundo a sorte mudar
Trazendo pra dentro da gente
As coisas que a mente vai longe buscar
Trazendo pra dentro da gente
As coisas que a mente vai longe buscar

Em versos se fala e canta
O mal se espanta e a gente é feliz
No mundo das rimas e trovas
Eu sempre dei provas das coisas que fiz

Por muitos lugares passei
Mas nunca pisei em falso no chão
Cantando interpreto a poesia
Levando alegria onde há solidão
Cantando interpreto a poesia
Levando alegria onde há solidão

O destino é o meu calendário
O meu dicionário é a inspiração
A porta do mundo é aberta
Minha alma desperta buscando a canção

Com minha viola no peito
Meus versos são feitos pro mundo cantar
É a luta de um velho talento
Menino por dentro sem nunca cansar
É a luta de um velho talento
Menino por dentro sem nunca cansar
Informações

da Música (Porta do Mundo)

Editar Informações

Comentários Porta do Mundo

  • Comentar
      Foto do Álbum