Editar Biografia

Biografia Pedra Letícia

Começou há 13 anos em 11 de Setembro de 2005
Irreverentes, criativos e competentes. Assim é possível descrever a banda Pedra Letícia. Com mais de 18 milhões de acessos no Youtube o grupo soma mais de 300 shows em 13 estados do país, participações na Rede Globo nos programas: Domingão do Faustão, Turma do Didi, Programa do Jô, apresentações em rádios e programas consagrados no país, como o Programa Pânico (Jovem Pan), Hora do Ronco (Band FM) e Transalouca (Transamérica); Programa Bastidores (Multishow), Domínio MTV (MTV), Tudo é Possível (Record), Todo Seu (TV Gazeta), aparições e citações em revistas e jornais de todo país (Capricho, Rolling Stones, Isto É, O Globo, Estadão entre outros) e principalmente: milhares de fãs pelo Brasil inteiro.

A proposta atual do Pedra Letícia nasceu no ano de 2005 na cidade de Goiânia, e hoje a banda liderada pelo vocalista Fabiano Cambota, soma apresentações para grandes públicos, elogios da crítica e reconhecimento nacional.

A grupo realizou recentemente um grande sonho: gravou seu primeiro CD e DVD ao vivo na cidade de Curitiba-PR. Com o título Pedra Letícia Ao Vivo e Sem Retoques o álbum conta com todos os sucessos da banda e duas músicas inéditas. Todas as composições são do vocalista Fabiano Cambota e as novas: “Funcionário do Mês” e “Libertas” são em parceria com Thales Augusto. “A escolha por Curitiba se deu primeiro porque era um sonho nosso tocar lá. Segundo porque o estado do Paraná sempre nos foi muito receptivo e queríamos agradecer de alguma forma. Em terceiro porque nos deram toda estrutura e apoio.”, explica Cambota.

O lugar escolhido pela banda para o show de lançamento oficial do álbum Pedra Letícia Ao Vivo e Sem Retoques foi a cidade natal da banda, no dia 22 de maio de 2010, no único show não sertanejo da Exposição Agropecuária do Estado de Goiás. A apresentação marcou a volta do grupo após mais de um ano na estrada e agradou gregos e goianos.


Integrantes :

FABIANO ROVAGNOL CAMBOTA
Vocalista e violonista. Arranha pandeiro, viola, violão, mas só arranha. Nasceu em Goiânia dia 08 de Janeiro de 1977. Capricorniano, não tem a menor ideia do que isso influencia na sua existência. Mede 1,83m e o peso varia de acordo com a época do ano.

Antes de se tornar cantor, foi bancário, professor de inglês e dançarino safado na Itália. Agora anda metido porque faz stand up comedy também, e acha que está pronto pra ser ator. Começou a tocar quando já era adulto e suas influências variam entre rock clássico e música brasileira. Cita nomes como Luis Gonzaga, Ney Matogrosso e Freddie Mercury.

Seu maior sonho era o pesadelo da família: ser músico. Passa os dias escrevendo crônicas, músicas, tocando violão e jogando video game. Autor da maioria das músicas da banda, assume que é o culpado pelas letras.

THIAGO LUÍS SOEIRO SESTINI
Nascido em Campinas SP - sendo hidratado com água mineral de Lindóia SP - no dia 13 de abril de 1982, após passar por varias cidades dos estados de SP, PR, DF, me fixei a Goiânia em 1993, no início da adolescência. Arriscando uma vida atlética por caminhos meio errados escolhendo esportes que com o topo - hoje calvo - dos meus 1.72 se tornaram complicados como: basquete, futebol - goleiro - e atletismo - velocista.

Ao ingressar na ETFG - Escola Técnica Federal de Goiás - conheci um tanto de maluco - inclusive o Carlão - que me fez mostrar que tocar é bem mais legal do que encarar um torno ou o Autocad - sim, era o curso de mecânica. Autodidata - ou “nadadidata”, tive os primeiros contatos com a música através do Clube do Choro de Goiânia quando frequentava os encontros em 1999 passando a integrar alguns grupos da capital com o pandeiro. Fiz parte da banda Blues For All em 2000 e acompanhei diversos artistas de MPB e POP por bares e casas de show da região.

Em 2004, após pirar a cabeça trabalhando por quase 3 anos com telefonia, resolvi montar o Falange Bar com o Carlão pra viver um sonho inspirados por nossos ídolos, onde tiveram influência na programação musical da casa sempre recheada de Lenine, Led Zeppelin, BB King, James Brown... Lá que conheci os meninos e essa história começou a tomar essa forma de hoje após a falência do estabelecimento...

JOSÉ HENRIQUE JUNQUEIRA
José Henrique Junqueira é goianiense parido na Maternidade de Maio, onde nasceu metade de Goiânia, em 18 de Julho de 1981 ao som de Michel Jackson, Alceu Valença e as serestas de seu avô João Junqueira, genuíno boêmio e amante da música. Embora a primeira morada desse canceriano tenha sido no bairro da Campininha, casa do Clube Atlético Goianiense, Zé aprendeu a gostar de futebol vendo o time do Goiás jogar, mas seria a música sua grande paixão na vida.

Rua 7A, Setor Aeroporto. 1988, 89, molecada toda na rua com seus skates Pro-Life e acessórios Narina. Information Society, New Order, Technotronic no vinil dos amigos mais velhos. Um bom começo pra chegada dos anos 90 que serviria de base para seu trabalho.

Zé começou a tocar bateria aos 15 anos por incentivo do pai e de bandas como Faith no More, Alice in Chains, Pearl Jam, Red Hot Chili Peppers, Black Sabath, Sepultura, RATM e muita música brasileira. Desde o início teve a intuição como guia para evoluir sempre utilizando o ouvido e a alma como maior referência. Sua primeira bateria foi orgulhosamente uma Saema velha de guerra e de lá pra cá muita coisa aconteceu.

Em sua trajetória como baterista, Zé Junqueira tocou com artistas como Valéria Costa, Marco Antonini, Maíra, Cezinha Canedo, Henrique & Hernane, Bela Nogueira e Marcelo Nova. Desde o início de sua carreira desenvolveu trabalho autoral de composição com bandas próprias como Olhodepeixe com quem gravou Cd em 2004, Pedra70, Coró de Pau e DomCasamata, além de acompanhar o Violins, outra importante banda do cenário independente.

KUKY SANCHEZ
Músico auto-didata, Kuky Sanchez começou aos 14 anos, quando o momento era o de tocar em bandas de garagem, mas aos 17 começou a tocar profissionalmente como músico residente no Asa Branca em São Paulo por 5 anos onde aprendeu que para viver de música no Brasil tinha que tocar de tudo, e assim foi, além do Rock que foi sua primeira influência musical, ao lado de músicos experientes da noite Paulistana conheceu vários estilos como Forró, Axé, Samba, Sertanejo, Brega, MPB e Black Music.

Passou por diversas bandas como: Korpus, Sofisma, The Pills (onde gravou um cd pela Paradoxx music um single e participação em duas coletãneas, e o clip da música "Pain" na programação da Mtv e em radios paulistanas), Hard Cover, Whitesnake cover, Crossroads Bonjovi cover, Escape Journey cover, Tempestt, Radiofonics, Astra, Shining Star (Projeto do guitarrista Fabio Rocha com a participação do vocalista Norte Americano Lance King, onde gravou o Cd Fatal Mistake pela Nithmare Records(USA)), Sunsarah (Onde gravou o CD "Desde o Inicio lançado em 2010), em 2009 tocou na Banda do programa SuperPop (Luciana Gimenez/RedeTv) entre outras como: bandas de baile, covers, etc.
Como Sideman tocou e gravou com vários artistas como: Jeff Scott Soto (ex vocalista das bandas: Journey, Talisman,Yngwie Malmsteen, etc), Victor & Leo, Anastácia, Mongol (onde participou do festival da TV Cultura 2005), As Marcianas, Ze Lagoa, Elke Maravilha, Bartô Galeno, Waldick Soriano, Barrerito (Trio Parada Dura), Patricia Coelho, Luciano Risetto, Celso Cardoso, Aline Muniz, Marco de Vita ( Parceiro em shows, Musicais de Teatro, trilhas e participação em seus dois CDs instrumentais ao lado de músicos como: Serginho Carvalho, Renato Martins, Dudinha Lima, Lineu Andrade, Marco Bavini, Eduardo Costa, Estela Cassilati, Marcio Guimarães, Tânia Maya, Tchello Palma, Paulo Venturini, Mauricio Sant`anna, Taô Barbosa, entre outros), entre muitos outros.

Sempre esforçado, acabou trabalhando também como roadie, técnico de som com várias bandas e assim pelo reconhecimento de seu trabalho recebeu o convite do produtor Joe Marcos para trabalhar como produtor artistico e musical na Promoart Shows (Gugu Liberato) onde produziu, gravou e tocou com artistas como: Dominó, Banana Split, Meia de Seda, Marcelo Augusto, etc.
No ano 2000 foi convidado para fazer parte do elenco profissional da "Oficina dos Menestréis" Companhia de teatro de Oswaldo Montenegro, onde trabalha até hoje, tocou e atuou em musicais como Noturno, O Vale Encantado, A Ilha de Oswaldo Montenegro, Good Morning São Paulo, UP de Deto Montenegro e os musicais Lendas & Tribos, Fricks Typs, Sétima Arte, a releitura de "Hair - O Tempo da Flor", A Mansão de Miss Jane de Candé Brandão, e o musical "Raul fora da Lei" com o ator Roberto Bomtempo. No Cinema no ano de 2005 gravou e colaborou na composição da trilha do filme "Depois Daquele Baile" de Roberto Bomtempo e direção musical de Marco de Vita. Hoje, Kuky Sanchez é contra-baixista da banda Pedra Letícia e das bandas de covers Latin Lovers(Pop/Latino) e Radiofonics(Pop/Groove) e nos musicais da Oficina dos Menestréis.

TON JUNIOR
Falar de si é sempre difícil. E, no caso de contar brevemente a própria história, mais ainda! Geralmente, usa-se a terceira pessoa ou pede-se que alguém escreva a respeito. Aqui, quero fazer diferente: sem rodeios nem firulas, me apresentar aos fiéis seguidores do Pedra Letícia!
Nasci em janeiro de 1980, em Goiânia. Aos nove anos fui presenteado pela teatróloga Cici Pinheiros com um papel em uma de suas peças. A obra era “Gimba: O Presidente dos Valentes”, de Gianfrancesco Guarnieri e, através dela, iniciei minha “carreira artística”. Em 1991, já atuando em pequenas peças publicitárias, fui selecionado para interpretar um Beatle no comercial de um shopping de Goiânia.
Nessa época surgiu a primeira banda, formada com o amigo e parceiro musical, Ricardo Junior, e que foi batizada de “Revolution”, deixando claro qual seria o estilo musical e, principalmente, os músicos que influenciariam toda minha trajetória profissional.
Em 1995, nasceram os 'Bitkids', um projeto cujo repertório era composto apenas de versões nacionais de sucessos dos Beatles. Com o grupo, tive a oportunidade de trabalhar com o Produtor e Compositor Renato Ladeira e viajar por todo o País. Os meninos, então, tornaram-se adolescentes e naturalmente a banda se desfez.
Desde 1999, quando me mudei para São Paulo, pude atuar em todas as faces da música: como guitarrista, baixista, compositor...
Em 2003, com a banda Beat Soul Ever, toquei no The Cavern Club, em Liverpool, bar que foi palco do início da carreira musical dos Beatles.
Entre 2008 e 2010, me apresentei ao lado de atores e palhaços no espetáculo do Circo Zanni. Este trabalho resultou no convite, por parte de artistas e companhias circenses, de teatro e dança, para compor as trilhas dos números e espetáculos. Em 2009, integrei a banda de apoio de Wander Wildner (ex-Replicantes). Em 2010, o projeto Bichos do Mundo, da Cia. Pia Fraus. Paralelo a estas atuações trabalho em meu próprio projeto, a banda TRIUFO, que em janeiro deste ano lançou um disco no qual relato o amor que sinto por São Paulo, cidade que me recebeu e que assiste ao meu desenvolvimento musical.
Através dos amigos Zé Junqueira e Guilherme Diniz (técnico de cordas do Pedra Letícia, que também trabalhou no Circo Zanni), fui indicado a integrar a banda. Alguns ensaios, um ajuste daqui outro de lá e, apesar de pouco tempo de convívio, já me sinto completamente integrado à trupe.
Assim, breve, me apresento a todos os amigos que acompanham a ascensão dessa rapaziada gente boa que ainda quer espaço pra tocar sem ter que formar dupla com o irmão!

a melhor banda sem duvidas

Integrantes: Pedra Letícia

Inserir/Editar
    Foto do Álbum