Editar Biografia

Biografia Scorpions

AlemanhaHanover / Niedersachsen / Alemanha Começou há 52 anos em 1965
O Scorpions é a maior banda de hard rock do mundo formada na Alemanha. Formada em meados dos anos 60 pelo jovem guitarrista Rudolf Schenker, na cidade de Hannover, a banda viria a se lançar profissionalmente no começo dos anos 70. Depois de enviarem uma fita-demo a um conhecido produtor alemão, Conny Plank, a banda consegue lançar seu primeiro LP no ano de 1972. Lonesome Crow foi o título do primeiro trabalho do Scorpions então formado por Klaus Meine nos vocais, os irmãos Michael e Rudolf Schenker nas guitarras, Lothar Heimberg no baixo e Wolfgang Dziony na bateria.

Esse disco mostra a banda fazendo um hard rock complexo, virtuoso, baseado na potência vocal de Klaus Meine e nos belos solos do virtuoso Michael Schenker. A banda consegue mostrar uma boa imagem com o Lonesome Crow e logo são contratos pela famosa gravadora RCA. Neste meio tempo, Heimberg, Dziony e Michael Schenker deixam a banda e Klaus Meine e Rudolf Schenker iniciam a busca por substitutos.

Uli Jon Roth, Francis Buchholz e Jurgen Rosenthal, os três integrantes da banda Dawn Road, decidem se juntar a Klaus Meine e Rudolf Schenker no Scorpions.

Com essa poderosa formação, a banda lança Fly To The Rainbow, no qual se destacam as músicas Speedy’s Coming, They Need a Million e Fly To The Rainbow.

O sucessor de Fly To The Rainbow foi o profundo In Trance, o álbum que apresenta a maior carga de psicodelismo do Scorpions. Uli Jon Roth está cada vez melhor, reafirmando o prestígio musical que conquistou na Europa. Dark Lady, Sun in My Hand, In Trance e a instrumental Night Lights se destacaram no álbum.

Logo em seguida, em 1976, veio o pesadíssimo Virgin Killer, já com Rudy Lenners na bateria. Neste álbum, estão clássicos como Pictured Life, Catch Your Train e Polar Nights. A capa do Virgin Killer, que trazia uma menina nua, foi censurada na Europa.

Uli Jon Roth decide que quer seguir um rumo musical diferente e sugere se retirar da banda. A pedidos, participa ainda de um álbum em estúdio, o ótimo Taken By Force. Neste álbum nota-se uma clara fusão entre o que o Scorpions fez em In Trance e Virgin Killer, em faixas como The Sails Of Charon e Your Light, com o que a banda viria a produzir após a saída de Uli, em 1978, como as músicas Steamrock Fever e He’s a Woman She’s a Man.

Além dessas músicas, o Taken By Force também traz a clássica We’ll Burn The Sky, presente até hoje nos shows da banda. Em 1978, como resultado da bem-sucedida turnê pelo Japão e como despedida de Uli Jon Roth da banda, é lançado Tokyo Tapes, o primeiro álbum ao vivo da banda.

Em 1979, o jovem Matthias Jabs assume a guitarra deixada por Roth e o Scorpions lança o eclético Lovedrive. Com faixas marcantes como Holiday, Always Somewhere e Loving You Sunday Morning, o álbum é um sucesso pela Europa. Nele também há a participação de Michael Schenker em três faixas, inclusive na instrumental Coast to Coast.

A partir de então, a formação clássica da banda se consolida com Klaus Meine, Rudolf Schenker, Matthias Jabs, Francis Buchholz e Herman Rarebell. Em 1980, é lançado Animal Magnetism, álbum de onde estourou a clássica The Zoo, presença certa em todos os shows da banda desde então. A balada Lady Starlight também se destaca.

Após a turnê, Klaus Meine perde sua voz devido a nódulos em suas cordas vocais. A tensão se instala na banda. Klaus faz uma delicada cirurgia e recupera-se durante quase um ano para poder voltar a cantar. A banda, numa demonstração de apoio a Meine, resolve aguardar a recuperação completa do cantor para prosseguirem.
Em 1982, Klaus volta, literalmente, soltando a voz em Blackout, um dos maiores clássicos do rock oitentista. Praticamente todos os nove hits do disco emplacaram de forma estrondosa e o Scorpions reafirma seu status de mega-banda do rock mundial.

Blackout foi seguido pelo igualmente espetacular Love at First Sting, de 1984. Bad Boys Running Wild, Rock You Like A Hurricane, I’m Leaving You, Coming Home e Big City Nights emplacam nas paradas mundiais ao mesmo tempo. Mas o carro chefe foi a histórica balada Still Loving You, considerada hino do estilo. O sucesso da turnê conta com uma passagem pelo Brasil. Na primeira edição do Rock in Rio, em 1985, o Scorpions é uma das atrações que levaram um público de mais de 300 mil pessoas ao êxtase.A turnê do álbum, aliada ao sucesso nos Estados Unidos, resulta no segundo LP ao vivo do Scorpions: World Wide Live. Contendo músicas apenas da época pós-Uli Jon Roth, este álbum é um ótimo resumo da trajetória de sucesso da banda nos anos 80.

O Scorpions fica três anos sem lançar um inédito de estúdio. A expectativa é finalmente saciada em 1988 com o lançamento de Savage Amusement, nº 1 nos Estados Unidos e 3º mais vendido na Europa. O álbum traz uma pegada diferente das anteriores mas traz boas canções como Rhythm of Love e Believe in Love.

Através do Savage Amusement, o Scorpions se torna a banda mais popular na decadente União Soviética. Tamanho sucesso rendeu um VHS especial para o país: To Russia With Love and Other Savage Amusements.

A Rússia foi a maior inspiração para o álbum seguinte do Scorpions: Crazy World, lançado em 1990. Este disco torna-se fenômeno de vendas por todo o mundo e, a lindíssima Wind Of Change, a música mais tocada em 11 países. Don’t Believe Her, Tease Me Please Me, Hit Between The Eyes e Send me an Angel são os outros clássicos do Crazy World. Em 1991, o Scorpions é recebido no Kremlin para encontrar Mikail Gorbachev, o último lider da União Soviética. Foi um evento único na história da URSS e da música.

A turnê do álbum é extensa e cansativa mas termina com a saída do baixista Francis Buchholz da banda, por motivos obscuros nunca esclarecidos completamente. Ralph Rieckermann assume o baixo da banda que ficara por 14 anos (1978-1992) sem mudar a formação.

Em 1993, Rieckermann estréia com o pesado e ótimo Face The Heat, comandado por hits bem heavy metal como Alien Nation e No Pain No Gain, baladas românticas como Lonely Nights e a política Under the Same Sun.

Mais um disco ao vivo é lançado em 1995. Live Bites reúne os sucessos da banda de 1988 até 1995, destacando-se as inéditas Ave Maria no Morro e White Dove.

No ano de 1996, sem Herman Rarebell, o Scorpions lança Pure Instinct, mostrando a banda investindo mais em baladas e arranjos trabalhados. A romântica e bela You and I foi a música de maior sucesso do Pure Instinct.

Em 1999, o Scorpions decide inovar. Baseado em música eletrônica e rock moderno, a banda lança o experimental Eye II Eye, já com o americano James Kottak na bateria.

O álbum é até hoje motivo de críticas dos fãs, embora apresente uma bela produção, capitaneada por Peter Wolf e belas canções como What You Give You Get Back, Mind Like a Tree, Du Bist So Schmutzig e A Moment in a Million Yeras.

Críticas e elogios à parte, é muito raro e quase impossível que canções do Eye II Eye apareçam nas turnês da banda hoje em dia.

Em 2000, é lançado Moment Of Glory. Disco resultado da fantástica parceria entre o Scorpions e a Orquestra Filarmônica de Berlim. Neste álbum, os maiores sucessos da banda ganharam maravilhosos arranjos clássicos da orquestra mais importante do mundo.

O álbum foi aclamado pelos fãs e pela crítica e conta com participações especias do italiano Zucchero em Send Me na Angel, Lyn Liechty num dueto em Here in My Heart e Ray Wilson cantando Big City Nights. O DVD Moment of Glory foi gravado num show na EXPO 2000, em Hannover.

No ano de 2001, o Scorpions decide continuar dando novas roupagens a velhos clássicos e eis que é lançado Acoustica. Gravado em Lisboa, o disco fez um enorme sucesso por todo o mundo e foi o grande responsável pelo boom no número de fãs jovens que a banda adquiriu recentemente.

Depois de 5 anos sem um disco de rock, a banda volta com tudo em Unbreakable. O disco é muito bem produzido e agrada aos fãs. As faixas New Generation, Deep and Dark e Through My Eyes merecem destaque. Além da bela Remember the Good Times. A Unbreakable Tour passa pelo Brasil em 2005 com shows em São Paulo, Vitória e Porto Alegre.

Neste meio tempo, o baixista Pawel Maciwoda entrou no lugar de Ralph Rieckermann.

Em 2007, a banda lançou Humanity — Hour I, um álbum com um hard rock moderno, baseado em temas importantes e sobretudo, repleto de mensagens e alertas à humanidade. A turnê do álbum veio ao Brasil em Agosto de 2007 passando por Manaus — cujo show seria lançado em DVD especial —, Recife e São Paulo.

No começo de 2008, foi lançado o DVD "Live at Wacken Open Air 2006" com o registro do show histórico realizado em 3 de Agosto de 2006, na Alemanha, no tradicional festival de heavy metal, com as participação mais que especiais de Uli Jon Roth, Herman Rarebell e Michael Schenker

Num set-list de 25 canções, passando por todas as fases da banda, o DVD já é item obrigatório a todo viciado em Scorpions.

Em 2010 é lançado o DVD Amazônia – Live in the Jungle, com o apoio do Greenpeace. O DVD contém partes do show gravado em Manaus em 2007 e o show de Recife em 2008, além de contar com um documentário do Greenpeace com o sobrevôo da banda na Amazônia. Parte das vendas do DVD será convertida em fundos para a preservação da floresta.

Em janeiro do mesmo, o Scorpions anuncia o fim de suas atividades e a última grande turnê denominada “Get Your Sting and Blackout” que duraria entre 2 e 3 anos, passando por todos os continentes para promover recém lançado e último álbum da banda denominado Sting in The Tail, contendo 11 músicas na edição americana, 12 músicas em alguns países da Europa e 13 músicas na edição japonesa.

Em novembro de 2011 foi lançado o Comeblack, um álbum de regravações de seus próprios clássicos e covers de grandes bandas como The Rolling Stones e The Beatles.

Em 2013, ao terminar sua grande turnê "Get Your Sting and Blackout" a banda revela a desistência dos seus planos de aposentadoria. Em entrevista exclusiva ao Scorpions Brazil, Klaus Meine diz:
"[...] nós não vamos acabar com a banda... na verdade eu nunca disse que nós íamos acabar com a banda, eu disse que pararíamos com as turnês, há muito trabalho para todos nós fazermos e, claro, depois de 40 anos da nossa carreira, é impossível voltar para casa sem ter um trabalho artístico esperando por você."

No mesmo ano, a banda fala sobre lançar material inédito, trabalhando em antigas gravações dos anos 80. Logo em seguida, anuncia a gravação do MTV Unplugged em Atenas, seu segundo álbum acústico, com muito mais pegada rock and roll que o seu antecessor Acoustica, e nos dias 11, 12, e 14 de setembro de 2013 são gravados três shows no Teatro Lycabettus, que deram origem ao álbum, lançado em . Essa foi a primeira gravação em local aberto na história do MTV Unplugged.

Além dos clássicos, muitas canções foram tocadas ao vivo pela primeira vez, como Born to Touch Your Feelings e When You Came into My Life. Além disso, foram apresentadas cinco músicas inéditas: Dancing With the Moonlight, Love is The Answer (na voz de Rudolf Schenker), Delicate Dance, Follow Your Heart (Com apenas Klaus Meine tocando violão e cantando) e Rock 'n' Roll Band.

Alguns meses depois do lançamento do álbum, James Kottak é preso em Dubai, dia 29 de abril de 2014, por comportamento alterado ao insultar o Islã dentro do avião após aterrissagem em solo árabe, impossibilitando-o de participar da mini turnê alemã para promoção do álbum na Alemanha, sendo substituído, às presas, pelo baterista sueco Johan Franzon. Um mês depois de sua prisão, após ter completado a pena, James é liberado, mas não é reintegrado imediatamente à banda. Após passar por período de adaptação e ajuda especializada, Kottak retorna às suas atividades junto ao Scorpions em Dezembro de 2014. No mesmo ano, o Scorpions é indicado a dois prêmios Echo ("o Grammy europeu") pelo MTV Unplugged.

Em fevereiro de 2015, é lançado seu novo álbum de estúdio "Return To Forever", considerado por muitos como um álbum de volta às origens da banda, contendo músicas inéditas e algumas regravadas dos anos 80, como é o caso de Rock My Car. Com esse álbum, a banda inicia sua turnê mundial comemorativa dos seus 50 anos de estrada, intitulada "50th Anniversary – World Tour", e, desde então, o Scorpions segue na estrada, atualmente em turnê, da qual os fãs brasileiros esperam ansiosamente para fazer parte.

Integrantes

Klaus Meine: vocalista desde a fundação
Rudolf Schenker: guitarrista desde a fundação
Matthias Jabs: guitarrista desde 1978
James Kottak: baterista desde 1996
Pawel Maciwoda: baixista desde 2004
    Foto do Álbum