Add
Um Berrante Na Prisão (Letra)
Compositor: inserir
('Um berrante silenciou na estrada
O boiadeiro do sertão partiu
Foi em busca do seu grande amor
E bem contente para lá seguiu

Esqueceu os companheiros
Seu berrante, sua boiada
E seguiu pra bem distante
Pra rever a sua amada”)

Ele a encontrou na praça
Lá no jardim entre as flores
Ela nos braços de outro
Estavam ofertando amores

Parou pensando primeiro
Revendo a noiva querida
Com o coração sangrando
Meditou a própria vida

Recordou a sua infância
E o lugar onde nasceu
Guampa de boi pantaneiro
Nunca seu corpo abateu

No entanto a mulher amada
Igual punhal traiçoeiro
Varou o seu coração
Num golpe frio e certeiro

('Refletiu com sentimento
E seu revólver puxou
E no casal de repente
A arma descarregou

Mas quando viu a identidade
Do homem que ali tombou
Era o seu futuro sogro
Que o ciúme fulminou”)

Hoje na penitenciária
De uma cidade distante
Entre as grades cumpre a pena
Daquele ciúme infamante

E recorda com saudade
A boiada e sua aldeia
E repica o seu berrante
Entre as grades da cadeia
Informações

da Música (Um Berrante Na Prisão)

Editar Informações

Comentários Um Berrante Na Prisão

  • Comentar
      Foto do Álbum