Mineiro Valente (Letra)
Compositores: Solevante, Soleny
Cheguei agora
Venho vindo lá de fora
Cortando o macho na espora
Eu não tenho paradeiro

Por onde eu sigo
Não tenho medo do perigo
Até hoje meu amigo
Foi somente meu dinheiro

Não sou valente
Mas na hora do repente
Se ficar na minha frente
É perigoso sair mal

Enfrento a morte
Brigo bem e sou de sorte
Se o caboco for mais forte
Vou no trinta e vou no pau

Fui numa festa
Na casa do Zé Seresta
Quebrei meu chapéu na testa
Tirei dama pra dançar

Uma menina
Por nome de Rosalina
Era uma joia fina
Começou me namorar

Eu não sabia
Que no baile existia
Um sujeito de vigia
Era ele gamadão

Quando eu dançava
Todos os passos que eu dava
Ele vinha, me esbarrava
Procurando confusão

('Ô moçada!
Procurou confusão com esse mineiro, acha na hora”)

Saí pra fora
Despedi pra ir embora
A menina nesta hora
Começou a me beijar

Os implicado
Que estava enciumado
Fez o circo a meu lado
Querendo me agarrar

Eu dei pancada
Pescoção e dei pernada
Eu deixei essa moçada
Chorando com o couro quente

Mas conheceram
Que sou daqueles mineiros
Brigo até o dia inteiro
Mas não entrego o batente

('Mas não entrego mesmo, meus amigos!”)

No mesmo embalo
Arriei o meu cavalo
E saí como um estalo
Vou cumprindo a minha sina

Estou pensando
Que daqui pro fim do ano
Se eu não mudar meus planos
Vou buscar esta menina

Se novamente
Eu enfrentar aquela gente
Tudo vai ser diferente
Vou mostrar o meu valor

Eu gosto dela
Sei que vou casar com ela
Vou trazer esta donzela
Para ser o meu amor
Informações

da Música (Mineiro Valente)

Editar Informações

Comentários Mineiro Valente

  • Comentar
      Foto do Álbum