A Loira Do Caixa (Letra)
Um sujeito de modo arrogante
Com um brilho estranho nas vistas
Arranhando o nosso idioma
Chegou numa cidade paulista
Entrou na churrascaria
Feito galo jogando a crista
Foi dizendo para o proprietário
Passei sua tropa em revista
Essa loira bonita do caixa
Será minha primeira conquista

Se julgando um grande machão
Foi falando com um jeito brutal
Vai dizer para a loira bonita
Que eu nunca vi mulher igual
Quero pegar o corpinho dela
E beijar do começo ao final
Vou fazer igual boi barbatão
Quando encontra no carrascal
Um cocho que tem na madeira
Só o cheiro e o gosto do sal

Nisso o dono da churrascaria
Foi dizendo, espere um momento
Entrou no seu escritório
Logo veio em passos lentos
Empunhando um trinta e oito
E mostrando um documento
Essa loira é minha esposa
Veja a certidão de casamento
Vai fazer tudo o que eu mandar
Ou levar muito metal cinzento

Beijando o trinta e oito
Tremendo de joelhos no chão
Passou a noite lambendo
O assoalho do grande salão
Levando uma chuva de tapas
Cada vez que pedia perdão
Apanhou que nem vaca na horta
Foi jogado pra lá do portão
E saiu andando encolhido
Nunca mais pôde ser garanhão
Informações

da Música (A Loira Do Caixa)

Editar Informações

Comentários A Loira Do Caixa

  • Comentar
      Foto do Álbum