Criminoso (Letra)
Compositor: inserir
O tal de Quirino Basto
Foi pior que o Lampião
Matava por passá tempo
Na mais crué judiação

Quantas moças que morreram
Nas garras do valentão
Quanto sangue derramado
Quanto luto no sertão

No seu cavalo assassino
Por nome de satanais
Quirino Basto chegou
Lá no vendinha do Brais

Provocando a rapaziada
Costume que sempre fais
Estou aqui porque cheguei
Sem beber ninguém não sai

Tinha um menino na venda
Foi saindo ali do meio
Pinga à força eu não bebo
Falou mesmo sem receio

Quirino deu uma risada
Vai bebê menino feio
Home de barba na cara
Tenho cortado de reio

Barba na cara eu não tenho
Os meus atos eu determino
Eu não tenho pai nem mãe
Nem sei qual é o meu destino

Mas eu tenho educação
Apesar de ser menino
Venha de reio cortar
Se tu for homem Quirino

Pela guascada do reio
Com uma bala ele encontrou
Quirino puxou o revólver
Mas suas forças acabou

Quirino deu quatro voltas
Caiu no chão e falou
Me perdoe rapaziada
Que o menino me matou

Informações

da Música (Criminoso)

Editar Informações

Comentários Criminoso

  • Comentar
      Foto do Álbum