Viola Calada (Letra)
Compositores: Valito, João Do Pinho
Quando a lua vem surgindo ao longe
Beijando a mata lá no meu sertão
Vem clareando a verde ramagem
Deixando triste o meu coração

Minha viola coberta de pó
Há muito tempo não faz serenata
Nem corda tem, vive calada e triste
Juro que a culpa é daquela ingrata

Meu sabiá coleira na gaiola
Há muito tempo já não canta mais
Parece até que o pobre passarinho
Também compreende os meus tristes ais

Disse um ditado antigo e muito certo
Que todos sabem, mas ninguém esquece
Que nesse mundo tirano e perverso
Quem tanto faz é quem menos merece

Por isso mesmo que aconteceu
Esse meu peito magoado e ferido
Eu dei a ela amor puro e sincero
E com desprezo fui correspondido

É mesmo assim, sou franco em dizer
Jurei vingança, mas estou arrependido
Irei vivendo de recordações
De um grande amor por você destruído
Informações

da Música (Viola Calada)

Editar Informações

Comentários Viola Calada

  • Comentar
      Foto do Álbum